Léxico: «etnonacionalista»

Todo teu, Porto Editora

 

      «Desta vez, o assassino tem mesmo razão: o australiano que matou a tiro 50 pessoas numa mesquita neozelandesa — eu farei como Jacinda Arden [sic], a PM da Nova Zelândia: se é notoriedade que ele quer, nem o nome dele aqui inscreverei! — apresentou-se como “simplesmente um tipo branco, normal, de uma família normal”, “etnonacionalista” e “fascista”. É o que ele é» («“Um tipo branco, normal”», Manuel Loff, Público, 21.03.2019, p. 9).

 

[Texto 11 007]

Helder Guégués às 15:11 | comentar | favorito
Etiquetas: ,