Léxico: «euro-africano/afro-europeu»

Mais difícil do que a Física

 

      «Um português em turismo nos Países Baixos não pode deixar de dar uma volta de barco pelo labirinto dos canais de Amesterdão, ligados ao rio Amstel. Farid, o “capitão-guia” da minha embarcação, era euroafricano, de pai holandês e mãe marroquina» («Nos Países Baixos», Carlos Fiolhais, Público, 5.09.2018, p. 39).

      Está mal escrito, Senhor Professor Carlos Fiolhais: é euro-africano. Curiosamente (?), o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora apenas regista eurafricano — para não fugir muito ao francês eurafricain, pois claro... Ao mestiço de europeu e de africano também se pode dar o nome, suponho, de afro-europeu, que o dicionário da Porto Editora tão-pouco regista. Se me disserem que afro-europeu se refere somente aos que têm origem subsariana, então respondo que todos os termos iniciados com o elemento de formação afro- estão mal definidos.

 

[Texto 9863]

Helder Guégués às 09:59 | comentar | favorito
Etiquetas: ,