Léxico: «falso positivo»

Ajudava

 

      Será aconselhável fazer exames de rotina? Responde António Vaz Carneiro, director do Centro de Medicina Baseada na Evidência: «Está documentado que em pessoas com doenças crónicas estáveis, ou perfeitamente saudáveis e acima dos 65 anos, quem faz check-ups [exames de rotina] regulares tem tendência a um aumento muito ligeiro de mortalidade, comparando com pessoas que não os fazem. Porquê? Porque há resultados errados, os testes não são 100% fiáveis, e temos o problema dos falsos positivos — um teste anormal numa pessoa que não tem doença. O que acontece então? O médico vai fazer toda uma série de intervenções desnecessárias, quando há sobrediagnóstico, há sobretratamento» («Não faz sentido fazer check-ups anuais», Alexandra Campos, Público, 9.04.2019, p. 18).

      Porto Editora: já temos sobrediagnóstico, já temos sobretratamento, falta agora falso positivo. Tendo em conta que já por aí se propõe ligar os dois termos por hífen (!), convém dicionarizar a locução quanto antes.

 

[Texto 11 148]

Helder Guégués às 08:07 | favorito
Etiquetas: ,