Léxico: «fascite | fasciite | fasceíte»

Uma tripla

 

      Como funciona a câmara hiperbárica no caso da cicatrização? Responde a capitã-tenente médica Carla Amaro, subdirectora do Centro de Medicina Subaquática e Hiperbárica: «Outra das situações é a fasceíte necrotizante (uma infeção que causa a morte dos tecidos moles do corpo), muitas vezes associada a gangrenas de Fournier. Também é uma situação de urgência, porque tem elevado risco de mortalidade. Nessa situação, não só fornece o oxigénio necessário para produzir os radicais livres (moléculas produzidas pelas células, durante o processo de queima do oxigénio), para matar as bactérias – nós precisamos de radicais livres para as matar – como vai favorecer a atividade dos glóbulos brancos, para matar as bactérias – existem vários estudos a comprovar isso» («O que é e para que serve a câmara hiperbárica que está a tratar Ângelo Rodrigues», Anabela Góis e Inês Rocha, Rádio Renascença, 3.09.2019, 11h12).

      Vê-se mais, garanto, fasceíte do que as únicas que o dicionário da Porto Editora regista, fasciite e fascite. E falta saber se não é a única grafia legitimada pela etimologia, mas agora não quero pensar nisso, até porque tenho ali o pequeno-almoço à minha espera.

 

[Texto 11 917]

Helder Guégués às 08:50 | favorito
Etiquetas: ,