Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Linguagista

Léxico: «fronda»

Tudo do latim

 

      «O “Brexit” e a sua fronda populista continuam a fazer as suas vítimas e a última é o impecável sistema jurisdicional britânico. Não alcanço que razão levou Theresa May a decidir que iniciaria o processo de saída sem consultar previamente o Parlamento» («Do “Brexit” ao “Amerexit”», Paulo Rangel, Público, 8.11.2016, p. 50).

  Fronda. Bela palavra. O Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências de Lisboa ignora-a. Em sentido figurado, como no texto de Paulo Rangel, significa rebelião, insurreição, movimento de oposição. O sentido próprio remete para o nome por que ficou conhecida a revolta, e o partido que lhe deu origem, que estalou no início do reinado de Luís XIV, o Rei-Sol, dirigida contra a regente Ana de Áustria e o cardeal Mazarino. Com maiúscula, portanto, Fronda. Em francês, porém, é Fronde/fronde, no que a nossa língua ficou a ganhar, pois, para nós, fronde (que também existe em francês neste sentido) é folhagem, ramagem. Em francês, fronde tem ainda outro sentido, que nos falta, e que podemos traduzir por funda, fisga. Aliás, por diversas alterações, poderá vir do latim popular *fundula, isto é, pequena funda. Sim, recebemos tudo do latim. Fisga também: é um regressivo do verbo fisgar, do latim vulgar *fixicāre, apanhar, agarrar fixamente.

 

[Texto 7226]

Comentar:

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.