Léxico: «frotteurismo | frotteurista»

Coçar os genitais

 

      «Só não sabia que, anos mais tarde, já como psicóloga, se depararia com casos semelhantes e perceberia, por fim, o porquê de tão inquietante comportamento. O indivíduo em causa sofria, deduz-se, de frotteurismo (do francês “frotteurisme”, que por sua vez provém de “frotter”, que significa esfregar). O frotteurismo, ou frotismo, é pois a excitação sexual resultante da fricção dos órgãos genitais ou do toque no corpo de uma pessoa desconhecida e geralmente vestida» («Quando roçar genitais é uma doença», Ana Tulha, Notícias Magazine, 17.09.2020).

      Quanto a frotismo, é a primeira vez que deparo com ele. Quer então dizer que um frotista tanto pode ser o dono de uma frota como aquele que tem comichão nos..., enfim, vocês sabem. Já frotteurismo é conhecida, suponho, de todos. Nenhuma delas o dicionário da Porto Editora acolhe. Ocorre apenas em dois textos de apoio da Infopédia, e num deles («Parafilia»), por sinal, mal grafado: «As principais categorias deste tipo de desvio são a pedofilia, o exibicionismo, o sadismo e o masoquismo sexual, o voyeurismo, o fetichismo e o frotteurismo.» Claro que sei porque está mal grafado, mas não posso soprar ao ouvido de cada um dos desprevenidos falantes que ali desemboquem. Enfim, há lá erros maiores, e um deles vimo-lo aqui recentemente — «assembleia-geral».

 

[Texto 13 994]

Helder Guégués às 09:15 | comentar | favorito
Etiquetas: ,