Léxico: «gemónias»

Um estranho caso

 

      O Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora também tem os seus segredos, os seus cadáveres no armário. Por exemplo, pesquisamos por «Gemínidas» (que foi a palavra escolhida pela tradutora para verter o inglês Geminid) e obtemos este resultado: «Queria pesquisar gemónias?» Seguimos, por mero desfastio, a sugestão, e onde vamos desembocar? Para espanto nosso, aqui: «A palavra pesquisada não foi encontrada neste dicionário. Verifique se a palavra ou expressão introduzidas estão bem escritas e pesquise novamente.» A história não acaba aqui: como eu sei que houve já hesitações quanto à acentuação da palavra, pesquisei então por «gemonias». Magia e estranheza: aparece, não o verbete gemonias (o prometido), mas gemónias (o correcto e negado): «1. lugar onde se expunham os cadáveres dos supliciados romanos; 2. figurado escárnio público; 3. figurado extremo ultraje; 4. figurado desgraça infamante». Lugar, sim, mas mais especificamente era a escadaria em Roma onde se expunham os cadáveres dos criminosos sentenciados, atirando-se em seguida ao Tibre. O que aconteceu no dicionário? Isto: o vocábulo terá, alguma vez, estado dicionarizado como «Gemonias». Este dicionário tem outros segredos deste género, que irei revelando conforme me for lembrando deles.

 [Texto 12 524]

Helder Guégués às 11:15 | favorito