Léxico: «homenageatório»

Para a próxima, já sabe

 

      «As evocações homenegeatórias a Umberto Eco destacaram o filósofo
 que devolveu a curiosidade à filosofia, 
o escritor que se divertiu com os seus romances (havia nele um Salgari que nunca escondeu e que norteou a 
sua busca das terras incógnitas) e o homem que compreendeu que a força
 de Berlusconi era só a nossa fraqueza, nossa, dos cidadãos desprotegidos perante o tumulto comunicacional e a perda de identidades que a cosmologia pós-moderna impõe» («A biblioteca de Eco e os cinco minutos de jazz», Francisco Louçã, Público, 27.02.2016, p. 54).

      Não tarda e temos aí alguém a dizer que é assim que se escreve — porque leu no Público... Com palavras que não são de todos os dias, Dr. Louçã, convém ver não uma, mas três vezes no dicionário.

 

[Texto 6647]

Helder Guégués às 17:05 | favorito
Etiquetas: ,