Léxico: «iconoclasma»

É duplo, como tantos

 

      «O tema é antigo e sempre perigosamente recorrente, mostrando à sociedade quão acéfalo é o pendor dos homens para a violência gratuita e quão frágeis para lhe resistir são as obras de arte e os monumentos da História – sempre, nesse contexto, as primeiras vítimas a tombar. O recente livro de Éric Vuillard A Guerra dos Pobres, centrado nas revoltas camponesas na Alemanha no tempo da Reforma protestante, e na sua subsequente e violentíssima repressão, mostra bem como o ódio contra tudo o que possa ser considerado diferente alimenta as ondas de iconoclasma. Em nome da fé, em nome de Deus, em nome dos poderes instituídos, em nome de direitos ditos inalienáveis, mataram-se povos inteiros e destruíram-se patrimónios civilizacionais inestimáveis. Foi assim, mas parece que esquecemos» («Contra todos os iconoclasmas», Vítor Serrão, historiador de arte, Público, 13.07.2020, p. 7).

      Os nossos dicionários apenas registam inconoclasmo. Mais um mistério? Temos de consultar, por exemplo, o Treccani para termos esta informação: «iconoclasmo (o iconoclasma) s. m. [der. di iconoclasta] (pl. -i). – Lo stesso che iconoclastia

 

[Texto 13 707]

Helder Guégués às 08:45 | comentar | favorito
Etiquetas: ,