Léxico: «micropropriedade»

Até os políticos

 

       «Medida visa contrariar tendência para micropropriedade. Limite das áreas vai variar consoante a região do país. [...] Este limite, designado por Unidade Mínima de Cultura (UMC), é de quatro hectares em algumas áreas do Norte e Centro do país, onde a propriedade predominante é o minifúndio. E vai aumentando à medida que se avança para o Sul do país, podendo chegar aos 48 hectares na zona da lezíria do Tejo e em algumas áreas do Alentejo» («Lei proíbe divisão de terrenos abaixo de oito hectares», Eduardo Pinto, Jornal de Notícias, 26.01.2019, 17h17).

      Eis uma medida inteligente, num país onde elas não abundam. Veja-se o caso, divulgado ontem, de ninguém saber ao certo o custo de 50 % dos benefícios fiscais existentes. Voltemos à micropropriedade: ainda ontem à noite, num noticiário na rádio, ouvi Catarina Martins, do Bloco de Esquerda, usar a palavra micropropriedade. Ainda não está em nenhum dicionário.

 

[Texto 11 558]

Helder Guégués às 09:15 | favorito
Etiquetas: ,