Léxico: «moa | ave-elefante | avicídio»

Dois esquecimentos (e um avicídio)

 

      «Um fóssil de uma ave três vezes maior do que uma avestruz foi descoberto numa gruta da Crimeia, sugerindo que os primeiros europeus conviveram com uma das maiores aves conhecidas. [...] A espécie agora descoberta numa caverna de Táurida, na costa do Mar Negro, remete para uma ave tão grande como o pássaro-elefante de Madagáscar ou o moa da Nova Zelândia» («Pesava mais de 450 quilos. Descoberto fóssil de ave três vezes maior que avestruz», TSF, 27.06.2019, 7h58).

      Coitados, queriam dizer ave-elefante (Aepyornis maximus), mas o domínio da língua é o que se vê. Não a encontramos no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, como tão-pouco encontramos moa, a tal ave gigante da Nova Zelândia da família Dinornithidae, extinta pela acção predatória dos Maoris, no que terá sido um dos primeiros avicídios (que aquele dicionário também não regista) da História. Ah, malvados!

 

[Texto 11 627]

Helder Guégués às 08:34 | favorito
Etiquetas: ,