Léxico: «neve»

Não a encontramos lá

 

      «Destes tempos antigos, restam alguns vestígios na Baixa de Lisboa, nomeadamente na fachada da antiga Pastelaria Pomona (Rua da Prata, 113) ou o Café Gelo, no Rossio – alguns dos “cafés chiques” que Carlos Ribeiro referia. Também no Palácio Nacional da Ajuda se conservam alguns dos recipientes usados para “servir as neves” à corte, como as taças ou baldes de gelo em vidro, cristal, porcelana ou prata, revela Maria João Burnay, conservadora de vidros do palácio. [...] Entre os imensos serviços que a rainha comprava para a Casa Real, estão contempladas as peças para servir as “neves”, com o seu monograma» («O gelo do Montejunto que abastecia os reis de Portugal», Marina Almeida, «DN Ócio»/Diário de Notícias, 17.06.2019).

      Não vejo esta acepção de neve no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, e não é o único com esta falha.

 

[Texto 11 556]

Helder Guégués às 09:01 | comentar | favorito
Etiquetas: ,