Léxico: «paramédico»

Não é claro

 

      «O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) anunciou esta quinta-feira que vai contratar em julho 20 profissionais e vai abrir em breve um concurso para mais 130 técnicos de emergência pré-hospitalar. [...] O INEM adianta que estes profissionais, que atuam no âmbito da emergência médica, nomeadamente em ambiente pré-hospitalar, são “fundamentais para a rede de emergência médica do país porque asseguram a primeira resposta às situações de emergência médica pré-hospitalar”» («INEM vai contratar 150 técnicos de emergência pré-hospitalar em julho», TSF, 27.06.2019, 14h54).

      Sim, técnicos de emergência pré-hospitalar, é uma carreira especial, e muito recente. Ora isto levou-me logo para o termo paramédico, que estive já esta semana a consultar no dicionário da Porto Editora e que, adianto já, não me convenceu. Paramédico é um conceito originariamente anglo-saxónico e, tanto quanto vi, pouco usado na nossa legislação. A definição da Porto Editora: «1. profissional treinado para executar cuidados médicos de emergência (como, por exemplo, um enfermeiro que acompanha uma ambulância); 2. indivíduo que exerce a sua profissão no campo da medicina, realizando actividades auxiliares ou complementares às de um médico». Talvez tenhamos de ter duas acepções, concedo por agora. A primeira, porém, não me convence. É nesta que cabem os técnicos de emergência pré-hospitalar — que não são enfermeiros, ou são? Talvez algum médico (pelo menos três sei eu que seguem este blogue) nos possa elucidar. Convém ter sempre definições claras e inatacáveis.

 

[Texto 11 630]

Helder Guégués às 17:23 | comentar | favorito