Léxico: «pau-marfim»

Inacreditável

 

      «Pousou então, no colo da neta, o guarda-jóias embutido em pau de marfim que, um dia, quando a mãe morrera, o seu pai, marquês de Alorna, lhe dera» (A Marquesa de Alorna — Do Cativeiro de Chelas à Corte de Viena, Maria João Lopo de Carvalho. Alfragide: Oficina do Livro, 6.ª ed., 2012, p. 639).

    Suponho que a autora quisesse escrever pau-marfim (Agonandra brasiliensis e Balfourodendron riedelianum), madeira usada em móveis de luxo, peças torneadas, cabos de ferramentas, molduras, etc. Creio já ter visto alguma vez a grafia «pau-de-marfim». Seja como for, no VOLP da Academia Brasileira de Letras só encontramos a grafia «pau-marfim», e é esta que deve vir para os nossos dicionários. E quantos objectos da mais diversa natureza não encontraremos em Portugal feitos desta madeira? E, contudo, nos nossos dicionários não está, não está no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora.

 

[Texto 8984]

Helder Guégués às 21:20 | comentar | favorito
Etiquetas: ,