Léxico: «pito | gancha»

Outras, diferentes

 

      «A tradição do pito, que se cumpre esta sexta-feira em Vila Real, representa um negócio extra para as mulheres que vendem o doce típico de massa e abóbora e atrai muitos populares ao recinto da capela de Santa Luzia. [...] Lá em cima, algumas mulheres ocupam stands com bancadas recheadas deste doce típico que protagoniza uma tradição popular que se repete todos os anos: a rapariga oferece hoje o pito ao rapaz que, em Fevereiro [a 3, no dia de S. Brás], retribui com a gancha. [...] Com recheio de doce de abóbora e cobertura de massa de farinha, o pito tem o formato de uma espécie de penso antigo que se colocava na vista. Santa Luzia é a padroeira dos doentes com problemas de olhos. Esta tradição começou por ser religiosa e acabou, com o passar do tempo, por ter um cariz popular e são mulheres e homens de todas as idades que aderem à brincadeira» («Vila Real cumpre tradição de dar o pito, o doce que atrai novos e velhos», Paula Lima e Lusa, Público, 13.12.2019, 13h43).

      O quê, pito, gancha? Não, no dicionário da Porto Editora há muitos pitos, de vulgarismos a brasileirismos, mas não este doce de aspecto tão atraente. Pois, também tem ganchas, mas não esta.

 

[Texto 12 475]

Helder Guégués às 08:30 | favorito
Etiquetas: ,