Léxico: «porta-algemas | porta-bastão | porta-luvas | fiador»

Afinal era mentira

 

      «Do total de bens, cerca de 90 são itens de fardamento, para o qual as forças de segurança recebem um subsídio do Estado de 50 euros por mês. A palavra mais comum é “porta”, para porta-chaves, porta-algemas, porta-bastão ou porta-luvas. Nessa categoria, há 81 itens comprados. Se juntarmos os fiadores (12), são mais de 90. Há cinco compras de “elásticos pretos”, cinco de pomada, oito lanternas e 20 pares de luvas tácticas, entre outros materiais» («Não há coletes antibala nas facturas que Ventura mostrou no Parlamento», Bárbara Reis, Público, 29.11.2019, p. 14).

      Assim, temos fora dos dicionários porta-algemas e porta-bastão. Quanto a porta-luvas e a fiador, não estão dicionarizados nestas acepções. Em fiador, o dicionário da Porto Editora regista uma acepção bem próxima, mas relacionada com a espada: «correia que liga a espada à mão, quando desembainhada». O termo fiador é mais abrangente, e genericamente designa qualquer corrente ou correia para prender certos equipamentos. Assim, para os apitos também há fiadores.

 

[Texto 12 383]

Helder Guégués às 09:00 | comentar | favorito
Etiquetas: ,