Léxico: «principialismo/principialista»

A cada dez anos

 

      Nem sempre o mundo pula e avança. Há já dez anos que um leitor me perguntou por que razão os nossos dicionários não acolhem principialismo/principialista, termos consolidados da bioética. Dei então eco a essa pergunta e nada aconteceu. Ontem voltou a fazer-me a mesma pergunta. Deixa-nos perplexos tal incúria. Estranheza causa sempre. Também «bioética» não existia antes de 1970. Deixem-me só recordar que na origem do termo «principialismo», que vem do inglês, está o latino principia, daí a grafia.

      «Numa ampla perspectiva e interpretação livre, o “principialismo” é uma denominação genérica que se aplica, por exemplo, ao modelo europeu continental apresentado na “Declaração de Barcelona”, mas também a outros modelo. [...] Este triunfo deve-se, sobretudo, à natureza normativa e pragmática dos modelos principialistas» (Bioética Simples, Maria do Céu Patrão Neves e Walter Osswald. Lisboa: Editorial Verbo, 2007, p. 103).

 

[Texto 11 027]

Helder Guégués às 08:11 | comentar | favorito
Etiquetas: ,