Léxico: «regulamentarismo»

Faltam sempre muitos

 

      «Em Portugal vigora um modelo que se pode considerar abolicionista. O proxenetismo é penalizado. Face a um consenso cada vez maior na academia portuguesa quanto à necessidade de se regulamentar o trabalho sexual — exercido de forma consentida e informada entre pessoas adultas —, garantindo direitos, algumas associações feministas têm feito esforços para que se legisle no sentido oposto, o de considerar a prostituição uma forma de violência contra as mulheres. Uma das propostas é a adopção do modelo nórdico» («Deve ser legal? Conferência junta ex-prostitutas em Lisboa», Aline Flor, Público, 21.09.2018, p. 14).

      Modelo nórdico, que é, ficamos a saber pelo artigo, de neo-abolicionismo. Há vários modelos. Por exemplo, o regulamentarismo: «A prostituição é regulamentada, dando enquadramento legal ao negócio. Prevê acesso à saúde, segurança social, impostos. Existe na Alemanha, Holanda, algumas regiões da Austrália.» No Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora: ✘. No VOLP da Academia Brasileira de Letras: ✔.

 

[Texto 9966]

Helder Guégués às 09:07 | comentar | favorito
Etiquetas: ,