Léxico: «rolezinho»

Parece, mas não é um arrastão

 

 

      «Depois da onda de protestos que tomou conta do Brasil em Junho, e à beira de várias manifestações contra o Mundial de Futebol sob o lema “Não Vai Ter Copa”, a Presidente da República do Brasil, Dilma Rousseff, está agora a tentar gerir novos movimentos de massas, os “rolezinhos” – encontros organizados em centros comerciais por jovens através de redes sociais. “Rolezinho” é o diminutivo de “rolê”, palavra que quer dizer “encontro”, “passeio”. Numa página do Facebook de um rolezinho marcado para dia 25, um utilizador, Mário Rocha, descrevia: “Rolezinho é o flashmob de pobre. A principal diferença é logicamente a cor e a quantidade de dinheiro na conta bancária. A ideia é simples: nas redes sociais, jovens, que geralmente são negros, funkeiros e ‘favelados’, combinam um encontro dentro de algum shopping da cidade, e, estando lá, eles passeiam em grupos cantando suas músicas preferidas. Quando a classe média branca vê aquele mar de negros ‘invadindo’ o shopping, já pensam que são assaltantes, estupradores, ladrões...”» («A nova palavra de protesto no Brasil chama-se “rolezinho”», Joana Gorjão Henriques, Público, 17.01.2014, p. 22).

      Parece que ainda só está no Dicionário Michaelis: «Dar um rolê: dar uma volta, dar um passeio». O étimo estará no francês rouler.

 

  [Texto 3870]

Helder Guégués às 08:28 | favorito
Etiquetas: