Léxico: «ronca»

Panela ou lata...

 

      «É já este sábado, dia 29 de dezembro, às 17:00, que se vão ouvir os cantares alentejanos na Praça do Município. Diz a tradição que no Natal de Elvas os grupos de populares vestiam capotes, pegavam nas roncas e andavam pelas ruas a cantar ao “Menino”. A tradição esmoreceu e quase se perdia irremediavelmente, empobrecendo a identidade cultural da terra. Mas está de regresso. [...] A ronca é uma vasilha de barro, à qual se ata na boca uma pele de coelho ou de borrego, tendo presa ao centro uma cana muito delgada. É friccionando essa cana com a mão humedecida que se tira da ronca um som cavo, ou ronco arrastado, com o qual se acompanha na quadra de Natal os cantes ao Menino. Este instrumento musical foi muito provavelmente introduzido na Península Ibérica, a partir do séc. VIII, com a chegada de diversas tribos berberes do norte de África, donde será original [sic]» («O som das roncas de Elvas na Praça do Município», Diário de Notícias, 27.12.2018, 15h29).

      A definição de ronca que encontramos no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora copia mais ou menos o que se diz há décadas noutros dicionários, e a primeira falha, a meu ver, é logo não se afirmar que se trata de um instrumento musical (membranofone de fricção): «panela ou lata com uma pele de bexiga distendida, que produz um som rouco e áspero quando se passa a mão por um cordel encerado que lhe está ligado».

 

[Texto 10 512]

Helder Guégués às 10:20 | comentar | favorito