Léxico: «superdisseminador»

É nisto que nos distinguimos

 

      «No SARS-CoV, houve pessoas que tinham a particularidade de poder transmitir o vírus com maior quantidade viral: eram os superdisseminadores. Isso ainda não está documentado no novo coronavírus, mas poderá explicar que algumas pessoas possam ter tido maior capacidade de infectar outras e em períodos pré-sintomáticos [afirma médico pneumologista Filipe Froes» («“Estamos a lidar com a imprevisibilidade da evolução do novo coronavírus”», Teresa Sofia Serafim, Público, 30.01.2020, p. 30).

      Há décadas que este termo é usado — é um conceito. Vejam se superspreader não está nos dicionários de língua inglesa. Pois é, é nisto que nos distinguimos.

 

[Texto 12 744]

Helder Guégués às 09:00 | comentar | favorito
Etiquetas: ,