Léxico: «tartaruga-marinha-comum»

Tomem lá outra

 

      «Acrescenta [a organização ambientalista internacional WWF] que “20% dos peixes de consumo quotidiano têm microplásticos nos seus estômagos e 80% das tartarugas-marinhas-comuns (Caretta caretta), cujos juvenis têm zonas de alimentação nos Açores, comem lixo, na sua maioria plástico”» («95% dos resíduos no Mediterrâneo são de plástico», Rádio Renascença, 8.06.2018, 7h15).

      Ou tartaruga-comum. É a espécie mais observada em Portugal, sobretudo nos arquipélagos dos Açores e da Madeira, e só depois seguida da tartaruga-de-couro (Dermochelys coriacea), e, no entanto, só esta última o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora regista, e ainda assim sem o nome científico.

 

[Texto 9372]

Helder Guégués às 11:27 | comentar | favorito | partilhar
Etiquetas: ,