Léxico: «tartéssico»

E a língua?

 

      «O jornal El País conta que a riqueza de materiais encontrados é extraordinária, como todo o tipo de joias, pontas de lança, recipientes, restos de tecido, grades e caldeirões de bronze, que permitem conhecer melhor a cultura dos Tartessos. […] Ao longo da história e a partir de textos bíblicos tem existido especulações sobre a existência deste tipo de edifícios no período Tartéssico, mas nunca tinha sido encontrado nenhum» («Edifício com 2500 anos surpreende arqueólogos», Rute Fonseca, TSF, 17.04.2017, 17h59).

      Pois, mas no jornal espanhol não está «cultura dos Tartessos», mas «cultura de Tartessos». O adjectivo relativo a Tartessos, tartéssico (que, como substantivo, é o nome da língua e até do povo), não está no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora. «Assim, os Fenícios deveriam ter contactos directos com os Tartéssicos, estes com as populações do Sul do actual território português e dos estuários do Tejo e Sado; finalmente, seriam talvez estes últimos os navegantes que demandavam as paragens mais setentrionais» (História de Portugal: Antes de Portugal, volume 1, José Mattoso (coord). Lisboa: Círculo de Leitores, 1992, p. 148).

 

[Texto 7730]

Helder Guégués às 22:45 | comentar | favorito