Léxico: «termopólio»

Novidades e confusões

 

      «Pode parecer, mas não é exagero dizer que foi encontrado um balcão de fast-food em Pompeia, a cidade do Império Romano que desapareceu no ano 79, depois da erupção do vulcão Vesúvio. Para sermos rigorosos, o que as escavações arqueológicas descobriram no setor chamado Região V foi um termopólio. E o que era isto? Era um lugar — normalmente uma pequena sala, com uma mesa ou balcão — onde se vendiam alimentos já confecionados e prontos para o consumo» («Fast-food em Pompeia? Descoberto balcão de venda de comida com mais de dois mil anos», Ana Kotowicz, Observador, 28.03.2019, 12h41).

      Encontro-o em diversas obras, vocabulários, dicionários, pelo que merece acolhimento no dicionário da Porto Editora. Já não digo o mesmo de «dólio», que nunca antes vira sem ser em latim, dolium, e quase sempre traduzida por «barril»: «A comida, ainda quente, era armazenada em dólios, que eram grandes jarras de cerâmica.» Resta agradecer a Ana Kotowicz este artigo e pagar-lhe com uma advertência: não confunda as preposições sob/sobre, como fez neste texto: «A descoberta foi anunciada por Massimo Osanna, diretor do Parque Arqueológico de Pompeia, e que desde o ano passado tem dado nova vida à vila preservada sobre as cinzas do Vesúvio.» Que preservação seria essa, em cima das cinzas do Vesúvio? Em cima das cinzas seria para assar.

 

[Texto 11 073]

Helder Guégués às 07:40 | favorito
Etiquetas: ,