Léxico: «traça da cera»

Uma traça menos má

 

      «A chamada traça da cera, cujas larvas são criadas para usar como isco para a pesca, é um flagelo para as colmeias de abelhas na Europa, e foi por coincidência que uma cientista [Federica Bertocchini, do Instituto de Biomedicina e Biotecnologia de Cantábria, Espanha] que também é apicultora descobriu como podem acelerar a degradação do polietileno» («Descoberta lagarta que é capaz de devorar sacos de plástico», TSF, 24.04.2017, 17h33).

     Na definição de traça, já encontramos essa apetência de peles, tecidos, livros, etc. Mas, depois, há traças específicas: dos livros, da cera... O Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora não regista esta da cera, mas sim a dos livros: traça-dos-livros. (Que tem vários sinónimos, um dos quais, bicho-de-prata, foi sugerido por mim em 2014 e faz parte daquele dicionário.) Se compreendo que bicho-de-prata deva ter hífenes, não me parece o mesmo de traça dos livros nem de traça da cera. Consultamos a Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira, quase infalivelmente criteriosa nestas questões, e nunca vemos hífenes nestes vocábulos.

 

[Texto 7750]

Helder Guégués às 10:33 | favorito
Etiquetas: ,