Léxico: «troca o passo»/«carqueja»

Pobre selenita

 

      Ontem, a minha filha fartou-se de rir quando eu usei as expressões «troca o passo» e «carqueja» com datas, coisa inédita para ela. «Mete-se pela via rápida ou lá o que é, tão lenta em construção como era o comboio de mil oitocentos e troca o passo, vai-se por ali fora num ápice, os carros à compita, a progredirem até à cidade capital do distrito e a trocarem de posição» (O Deputado, António Modesto Navarro. Alpiarça: Garrido, 2002, p. 134). «FELÍCIA – Sou eu que falo: – Felícia do Rego, do Beco das Alcaparras. – Lisboa, tantos de tal de mil quinhentos e carqueja» (Estudos de Língua e Cultura Portuguesa. Lisboa: Universidade Aberta, 1996, p. 159).

     Se chegasse agora aqui o tal selenita, não as encontraria em nenhum dicionário, quando era facílimo, e bastava indicar-se que são expressões jocosas.

 

[Texto 7960] 

Helder Guégués às 18:12 | comentar | favorito