Léxico: «tubo de fogo»

Ou não se saberá

 

      «O caso remonta a abril de 2015, quando o jovem de 20 anos, que estava a lançar foguetes da visita pascal no jardim de uma casa, na freguesia de Constance, foi atingido pelo rebentamento de um tubo de fogo, tendo tido morte imediata» («Pais de jovem morto sem indemnização», Jornal de Notícias, 19.07.2019, p. 16).

      Na altura, nas notícias falava-se em balona, que é o mesmo engenho pirotécnico, mas ambos deviam estar dicionarizados. (Era um técnico credenciado, um fogueteiro, e pôs a cabeça à frente do tubo de fogo a que já acendera o rastilho? Com 20 anos, técnico credenciado...)

 

[Texto 11 808]

Helder Guégués às 09:25 | comentar | favorito
Etiquetas: ,