Léxico: «turbo-hélice»

Cá, nem uma

 

      «O acidente ocorreu às 16h19 (menos uma hora em Portugal continental), na localidade de Segurilla (Toledo), por razões que ainda não são conhecidas. Foi um pastor que se encontrava na zona que deu o alerta. Quando os bombeiros chegaram ao local, o aparelho (um turbo-hélice Beechcraft King Air 90) estava em chamas» («Quatro espanhóis morrem em queda de avioneta que vinha para Cascais», Alexandra Campos, Público, 5.12.2016, p. 10).

      Está certo. É interessante esta forma de dizer, em vez de «um avião com turbo-hélice». Turbo-hélice, diga-se, não está nos dicionários gerais da língua publicados em Portugal. O VOLP da Academia Brasileira de Letras, pelo contrário, regista tanto aquela como turboélice, em que o h etimológico desaparece, à semelhança de muitas outras, como «lobisomem», «desonra», «inábil», por exemplo.

 

[Texto 7302]

Helder Guégués às 09:11 | comentar | favorito
Etiquetas: ,