Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Linguagista

Léxico: «undecentista | ducentista»

Dois séculos expungidos

 

      «Numa palavra: reconhece-se uma constante que, com raízes ducentistas, viria a moldar a arquitectura nacional durante alargado segmento da sua trajectória. Essa constante traduzir-se-ia em um feixe de tendências onde se incluem, por exemplo, a propensão a adoptar certos módulos na organização mural ou planimétrica, esquemas geométricos simples onde avultam a linha recta, as superfícies planas e os ângulos de noventa graus, um espaço interior menos premeditado do que resultante de operações construtivas primariamente funcionais, acentuada simplicidade na volumetria, em parte decorrente de mera justaposição de massas cujo nexo de articulação seria tão-só utilitário, grande sobriedade geral que atinge por vezes o grau de pobreza, generalizada feição prática conferida às peças, mesmo ao nível da execução de programas sacros ou profanos de aparato» (Páginas de História da Arte, Jorge Henrique Pais da Silva. Lisboa: Editorial Estampa, 1986, p. 140).

      O dicionário da Porto Editora, e outros (porque se andam a copiar uns aos outros vai bem para duzentos anos), só começa em trecentista. Trecentista, quatrocentista, por aí fora. Pois, e antes desses? Undecentista, ducentista, onde param eles?

 

[Texto 13 322]

Comentar:

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.