Léxico: «vidro»

Também estilhaçado

 

      Não escreveu Alice Gomes (1910-1983) um livro infanto-juvenil com o título Vidrinho de Cheiro, aí por início da década de 1970? Ora, no dicionário da Porto Editora esta acepção de vidro não está registada, e isto quando até acolhe vidrinho e a expressão «ser um vidrinho de cheiro» (mas, incongruentemente, no verbete vidro encontramos um «vidro-de-cheiro»). Vidro pode ser o material, o recipiente para líquidos feito com esse material e o próprio conteúdo. Subtraíram-nos a segunda acepção. (Lembrete: retomar a toma diária de Memofante Forte.)

 

[Texto 12 206]

Helder Guégués às 02:00 | comentar | favorito
Etiquetas: ,