Léxico: «xenobô | rã-de-unhas-africana»

É a ciência, estúpido

 

      «Outro dos investigadores do projecto, Michael Levin, apontou utilizações possíveis para os “xenobôs”, como “detectar compostos nocivos ou contaminação radioactiva, recolher microplástico nos oceanos ou viajar nas artérias para remover obstruções”. [...] Uma outra parte da equipa pegou nos desenhos criados pelo computador para os traduzir numa forma viva, recolhendo células estaminais de embriões da rã-de-unhas-africana (Xenopus laevis), designação que inspirou o nome “xenobôs”» («Cientistas criaram “máquinas vivas” com células de rã», Público, 14.01.2020, 18h08).

      Entretanto, as ocorrências do termo original, xenobot, já somam dezenas de milhares na Internet.

 

[Texto 12 658]

Helder Guégués às 08:00 | comentar | favorito
Etiquetas: ,