Lexionário — e propinas!

Repete lá isso?

 

      «O balanço incluirá ainda as iniciativas destinadas a “legislar claro e a facilitar o acesso e compreensão da legislação através do site do Diário da República Electrónico”. Neste domínio houve duas novidades em 2018. “Foi criado o dicionário de conceitos jurídicos, o Lexionário, que já tem 280 entradas”, divulga Tiago Antunes, apontando também a “criação de uma app [aplicação informática] que permite ter toda a legislação desde 1910 nos telemóveis e tablets e que teve já mais de 14 mil instalações”» («Governo vai avaliar impacto das leis no combate à pobreza e à corrupção», São José Almeida, Público, 18.01.2019, p. 10).

      Será que entre as 280 entradas já se encontra a de «propina»? Não, ainda é cedo. Seria útil sobretudo ao dicionário da Porto Editora, que jura a pés juntos que é a «quantia que se paga ao Estado para se poderem realizar certos actos escolares (matrículas, exames, etc.)». Será mesmo? Então, qual o nome que se dá à contraprestação pecuniária devida pelo estudante pelo serviço privado de ensino que lhe é prestado por uma instituição privada de ensino superior? Espórtula? Taxa? Quota? Quem nos chamou a atenção para este erro no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora foi o leitor Afonso Costa.

 

[Texto 10 616]

Helder Guégués às 19:58 | comentar | favorito