Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Linguagista

Logo, «hipercondríaco»

O doente imaginário

 

 

      Está nas salas de cinemas o filme Supercondríaco (Supercondriaque, no original, adaptado a BD, com o mesmo título, pelas Edições Delcourt), do realizador francês Dany Boon, que conta a história do hipocondríaco Romain Faubert, fotógrafo de um dicionário médico em linha, e da relação com o seu médico. Ora, o antónimo do prefixo hipo- é hiper-,e por isso seria de esperar «hipercondríaco», como também temos, por exemplo, «hipotensão/hipertensão» ou «hipoglicemia/hiperglicemia». São ambos prefixos amplificadores por transferência de sentido, pois originalmente eram portadores da noção semântica de posição. Hiper, com o sentido de posição superior; hipo, com o sentido de posição inferior. Porque «hipocôndrio» é o que está abaixo (hypoda cartilagem (khóndros), numa alusão ao fígado, órgão, para os Antigos, sede de todos os males orgânicos. Acresce que, embora signifiquem exactamente o mesmo, hoje em dia hiper- é usado como intensificação de super-, está num nível quantificador acima, e por isso temos, por exemplo, «supermercado» e «hipermercado».

 

[Texto 4502]