Mais fauna por dicionarizar

Nem um

 

      «Nesta investigação foram apreendidas 12 pitões reais, cinco cobras reis, quatro cobras do milho, duas pitões-tapete, duas cobras de riscas, uma cobra rateira japonesa, uma cobra falsa coral, uma cobra nariz de porco, três dragões barbudo, dois camaleões do Iémen, dois varano-terrestre-africanos, um lagarto-marau e um geco-leopardo» («GNR apreende 37 répteis numa habitação no Montijo», TSF, 8.08.2018, 17h03).

      No Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, nem sequer um. Pitão-real (Python regius); cobra-rei (Lampropeltis getula); cobra-do-milho (Pantherophis guttatus); dragão-barbudo (Pogona vitticeps); pitão-tapete (Morelia spilota); camaleão-do-iémen (Chamaeleo calyptratus); varano-terrestre-africano (Varanus exanthematicus); cobra-de-riscas (Thamnophis sirtalis); lagarto-marau (Tupinambis merianae); cobra-rateira-japonesa (Elaphe climacophora); cobra-falsa-coral (Lampropeltis triangulum); cobra-nariz-de-porco (Heterodon nasicus); geco-leopardo (Eublepharis macularius).

 

[Texto 9736]

Helder Guégués às 17:41 | comentar | favorito | partilhar
Etiquetas: ,