Mais tempestades

O nome diz tudo (ou não)

 

      «Não se sabe ao certo quando acontecerão mas, pelo menos, já têm nome. Agências meteorológicas de Portugal, Espanha e França criaram uma lista de nomes, alternando femininos com masculinos, para identificar fenómenos extremos que venham a atingir o sul da Europa. [...] Depois disso, virão a Carmen, o David, a Emma e por aí adiante, seguindo a ordem do alfabeto. A primeira foi Ana: mais de 3 mil ocorrências, uma vítima mortal, voos cancelados, barras encerradas. [...] Com recurso a modelos estatísticos, os cientistas concluem que as tempestades com nomes femininos causam o triplo das vítimas mortais do que as baptizadas com nomes masculinos» («Bruno e Carmen. As próximas tempestades a atingir Portugal já têm nome», André Rodrigues, Rádio Renascença, 13.12.2017).

      Ficamos assim a saber mais. E também rimos mais: «os cientistas concluem que as tempestades com nomes femininos causam o triplo das vítimas mortais do que as baptizadas com nomes masculinos». O jornalista, contudo, acrescenta: «O estudo é controverso. Até porque a hipótese inicialmente avançada por estes investigadores toca na sensível questão do sexo forte.»

 

[Texto 8467]

Helder Guégués às 10:28 | comentar | favorito
Etiquetas: