«Martelo», uma acepção

Ninguém sabe

 

      Ao passar agora ali pela Rua dos Navegantes, vi um martelo de porta muito bonito e logo pensei que não seria acepção que o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora acolhesse. Confirmei agora: não somente naquele, antes em nenhum dicionário que possuo (mas não os tenho aqui todos comigo) está tal acepção de martelo. «Daí a bocado ouve-se o martelo da porta, na maneira combinada do Eduardo bater» (Casa sem Pão, Maria Archer. Lisboa: Empresa Contemporânea de Edições, 1947, p. 144). (E não há quem reedite algumas das obras de Maria Archer, provavelmente quem melhor escreveu, no século XX, sobre a África portuguesa?)

 

[Texto 9488]

Helder Guégués às 19:57 | comentar | favorito
Etiquetas: ,