Monte Ararate

É claro que se atrevem

 

      «Viajámos de comboio até Istambul e, depois, para Erzurum, no leste da Turquia, perto do monte Ararate» (A Minha Breve História, Stephen Hawking. Tradução de Pedro Elói Duarte. Lisboa: Gradiva, 2014, p. 39).

      Talvez o tradutor pensasse: «Só “Ararat” é que não tem cura. Com este ninguém se atreve.» Eu sabia desta tripla ortografia — Arará, Ararat, Ararate —, mas ver outra que não Ararat é que é mais raro. (Entretanto, a edição é de 2014, espero que tradutor e revisor já saibam que é «Leste da Turquia». Ainda mais estranho: só numa citação (!) grafam «Universo» com maiúscula — mas, como a obra tem revisão científica de Carlos Fiolhais, deve ser imperativo científico.)

 

[Texto 9657]

Helder Guégués às 08:51 | favorito
Etiquetas: ,