«Não bate a bota com a perdigota»

Talvez estejamos enganados

 

      Mais um mistério, não da língua, mas dos nossos dicionários: como é que o vocábulo perdigota, a perdiz nova, não aparece dicionarizado ou, naqueles em que está, aparece logo ligado ao conhecido prolóquio, para usar o termo de Bulhão Pato? Não percebo. Aparece o masculino, como é habitual, objectar-me-ão. Sim, mas por que razão no dicionário da Porto Editora aparece somente como forma do verbo perdigotar? O que, a meu ver, também merece reflexão é a afirmação de Bulhão Pato (1828-1912) de que «o povo, e muita gente boa, corrompe o prolóquio quando repete: “Não diz a gota com a perdigota”». Faço a pergunta de forma oblíqua: «bota» rima com «gota»?

 

[Texto 11 494]

Helder Guégués às 17:56 | comentar | favorito
Etiquetas: ,