Não é de agora

Desculpas antigas

 

      «Haverei de regressar a esta questão», garante o autor. Deixá-lo. Quem sabe se não é um desses que afirmam que a língua portuguesa não é suficientemente rica e maleável? Já D. António Pinheiro, pregador de D. João III, increpava os que «por desculparem sua negligencia, culpam a pobreza da lingoa». A propósito de outra coisa, Fernão Lopes acreditava «que esto deçia na semente, no tempo da geeraçom», e isto pode ser o cuidado com a língua.

 

[Texto 5526]

Helder Guégués às 23:13 | comentar | favorito
Etiquetas: ,