«Navalha de ponta e mola»

Um corno

 

      «Sempre calado, o Feixa tirou do bolso uma grande navalha de ponta e mola, abriu-a e pôs-se a cortar com ela o naco e o bife, a olhar-me de soslaio de vez em quando» (A Criação do Mundo, Miguel Torga. Alfragide: Publicações Dom Quixote, 2013, 4.ª ed., p. 492).

      Navalha de ponta e mola. Cada vez que leio isto, vou a correr ver se os dicionários já a registam e, sobretudo, se não caíram na asneira de a grafar com hífenes. Quero ser o primeiro a saber. Vá lá, ainda não foi desta. Perguntem-me agora como a vi escrita. Não perguntem, eu digo: «Navalha de ponta em bola»! Deviam ser letais, essas navalhas. Devem estar a confundir com os touros embolados. Infelizes.

 

[Texto 6459]

 

 

Embolado.jpeg

Imagem daqui.

 

Helder Guégués às 17:01 | favorito
Etiquetas: ,