No Redondo

Já andámos por aqui

 

      «São só 20,5 quilómetros, mas é o início da construção da famosa Linha Évora–Elvas que vai completar o corredor Sines­–Badajoz, um eixo essencial para o transporte ferroviário de mercadorias entre Portugal e Espanha. Trata-se do troço Évora Norte–Freixo, cuja cerimónia de adjudicação da empreitada de construção — no valor de 46,6 milhões de euros — é presidida hoje, no Redondo, pelo primeiro-ministro, António Costa» («Alentejo vai ter 3000 trabalhadores na construção da linha Évora–Elvas», Carlos Cipriano, Público, 11.02.2019, p. 23).

      É como sempre ouvi, com o artigo definido, até porque também temos um nome comum «redondo». Decerto, decerto, estes nem sempre mantêm o artigo definido, mas são excepções. Argumentar-se que, de maneira mais formal, se diz «concelho de Redondo» não colhe inteiramente, tanto mais que por vezes são adventícios que procedem assim. O que interessa mesmo é como as pessoas, e em especial os moradores, se exprimem. Uma coisa é certa: se não for apenas como eu digo, também é como eu digo.

 

[Texto 10 764]

Helder Guégués às 17:12 | comentar | favorito
Etiquetas: ,