A mentira e o AOLP90

A brincar, a brincar

 

      «Eu fico sempre convencido com as pessoas perentórias. Pelo menos ficava, quando a palavra se escrevia “peremptória” e era mais perentória por isso. Hoje, as ganas, mesmo de uma mulher do Alto Minho, deixam-me mais cético (não tão cético como antigamente, quando se escrevia “céptico”, mas ainda assim cético). Vai daí, recorri ao meu método para me curar de um espanto: de que estamos a falar quando estamos a falar? Isto é, de que password falava a deputada Emília Cerqueira?» («O caso da password promíscua», Ferreira Fernandes, Diário de Notícias, 11.11.2018, 6h19).

      Isso é que era, o Diário de Notícias aparecer na edição de 1 de Janeiro de 2019 totalmente limpo do pesadelo do Acordo Ortográfico de 1990. Mas isso é mais notícia para o 1 de Abril...

 

[Texto 10 271]

Helder Guégués às 15:31 | comentar | favorito
Etiquetas: ,