O desgraçadíssimo verbo «haver»

Terceira e última

 

      É a terceira vez que os visito: a primeira foi quando me disseram que tentavam morder-me as canelas; a segunda, hoje de manhã, que fui lá parar por acaso e, com pena, apesar das dentadas liliputianas, vi que não publicavam nada desde 20 de Janeiro, e agora, depois de um leitor brasileiro do Linguagista me chamar a atenção. E é isto, que deve ser convicção, pois foi publicado ontem e até um leitor, num comentário, os corrigiu timidamente: «Como vemos sempre aqui na página, o Houaiss é um excelente dicionário – de longe o melhor dicionário de português existente hoje -, mas, apesar disso, tem erros – muitos erros, centenas de erros. Já vimos dezenas de erros do Houaiss aqui – vários e vários deles foram corrigidos pela própria equipe do Houaiss após termos tratado deles aqui, mas ainda assim, pelo próprio tamanho e pela natureza da obra, continuam a haver e é provável que sempre haverá erros» («A origem da palavra “tiete” (e de “tietar”, e “tietagem”)», dicionarioegramatica, 9.03.2018).

      Por sorte, para eles, podem escrever todos os disparates que lhes aprouver, não há ali um nome a responsabilizar-se — é uma «equipe», o casal dicionario e gramatica. Boa sorte.

 

[Texto 8898]

Helder Guégués às 19:59 | favorito
Etiquetas: ,