O fato esfarrapado do AO90

Não se tratem, não

 

      «Nas contas de Dalila Rodrigues, “não será possível admitir mais do que dez pessoas em simultâneo na torre”. Condicionado ficará também o acesso a parte dos pisos do monumento. Só será “50% visitável”. Este fato levará, depois de dia 18, a uma redução para metade no preço do bilhete, que passará de seis para três euros» («Torre de Belém só com 10 visitantes de cada vez. Conheça as novas regras nos museus e monumentos», Maria João Costa, Rádio Renascença, 16.05.2020, 21h00).

      Não sei como é que, depois de tantos avisos, uma jornalista — com o curso de Comunicação Social e Cultural da Universidade Católica de Lisboa — escreve isto. Mais: como é que, quase 24 horas depois, não releu nem ninguém a avisou. Lamentável.

 

[Texto 13 361]

Helder Guégués às 18:30 | favorito
Etiquetas: ,