ONUAA, não FAO

Imitemo-los

 

      «Os insetos podem ser ricos em gordura, proteínas, vitaminas, fibra e minerais, de acordo com a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (ONUAA), podendo servir para substituir outras fontes tradicionais de alimentação como a carne. [...] Globalmente, pelo menos dois mil milhões de pessoas comem insetos — que precisam de muito menos terra e água do que a atividade agropecuária — e há mais de 1.900 espécies que podem ser usadas para comida, segundo a ONUAA» («Grilos para o jantar? Cadeia britânica vai começar a vender insetos comestíveis», Rádio Renascença, 19.11.2018, 14h12).

      É a primeira vez que vejo tal, e de quem é a culpa? Também dos lexicógrafos, pois o Dicionário de Siglas e Abreviaturas da Porto Editora, por exemplo, regista não ONUAA, mas FAO, sigla de Food and Agriculture Organization. Em português, só com til nos interessa — Fão, a vila no distrito de Braga.

 

[Texto 10 309]

Helder Guégués às 17:12 | favorito