Ortografia: «a-histórico»

Disortograficamente

 

      «Se isolarmos a decisão de Truman, se a colocarmos num vácuo ahistórico onde só existe bem e mal em absoluto, a bomba só pode ser vista como a representação do inferno» («Hiroshima: Obama não tem que pedir perdão», Henrique Raposo, Expresso Diário, 13.05.2016).

      Já nos tinham chegado aqui ecos desta opção errada de Henrique Raposo. Se quer mesmo escrever sem hífen, então tem à disposição a variante anistórico. Como escreve — «ahistórico» — é um erro crassíssimo, mesmo nessa espécie de ortografia em que se exprime. Estranhamente, parece que ninguém lhe diz nada. Será que não o lêem?

 

[Texto 6806]

Helder Guégués às 08:53 | comentar | favorito
Etiquetas: ,