Ortografia: «beneficente»

Para quê, não é?

 

      «Este ano Sadie Bristow já tinha vencido mais de 40 jogos de ténis no segmento da liga inglesa para a sua idade: 9 anos. Mas a jovem tenista britânica não resistiu a um choque anafilático durante as férias com a família na região de Kent. Ainda foi aerotransportada para o Hospital São Jorge em Londres[,] mas não sobreviveu. [...] O pai anunciou que pretende criar uma organização beneficiente com o seu nome para pessoas com a mesma doença: “Ela foi uma inspiração e queremos que isso continue”» («Jovem tenista inglesa morre aos 9 anos», Diário de Notícias, 7.09.2018, 21h00).

      Como é que ainda há jornalistas que erram em coisa tão comezinha? É beneficente, como é beneficência, outra vítima frequente da insciência dos torcionários da língua. No caso, o mais revoltante é que a edição é digital e ninguém corrige nada — mas não deixam de receber o preço da edição premium. Passam minutos, horas e dias e é como se tivesse sido escrito na pedra. Tinha de haver aqui, na falta de revisores, uma revisão cruzada feita pelos próprios jornalistas: se foi escrito por A, é relido/revisto por B.

 

[Texto 9884]

Helder Guégués às 09:20 | comentar | favorito
Etiquetas: ,