Ortografia: «catalisador»

A persistência dos erros

 

 

      «Carmona é — e será sempre — mais um símbolo do que um líder: um ponto de equilíbrio de forças, uma apaziguador de conflitos, um catalizador de energias, um mediador ponderado e aceite» (António de Oliveira Salazar — O Outro Retrato, Jaime Nogueira Pinto. Lisboa: A Esfera dos Livros, 2008, 6.ª ed., p. 60).

      De «catálise», só pode ser catalisador. Espanta é que na 6.ª edição da obra este e muitos outros erros persistam.

 

[Texto 4085]

Helder Guégués às 22:02 | favorito
Etiquetas: