Ortografia: «catalisador»

Pensar e sentir

 

 

      «Ele sabia mais sobre a morte de Lula Landry do que alguma vez tencionara ou quisera saber; o mesmo poderia dizer-se sobre virtualmente todos os seres pensantes no Reino Unido» (Quando o Cuco Chama, Robert Galbraith. Tradução de Ana Saldanha, Maria Georgina Segurado e Rita Figueiredo. Queluz de Baixo: Editorial Presença, 2013, 2.ª ed., p. 37). No original: «He knew more about the death of Lula Landry than he had ever meant or wanted to know; the same would be true of virtually any sentient being in Britain.»

      Cá temos de novo o «virtualmente». A tradução brasileira não caiu nesta, e também não verteu sentient being para «ser pensante», mas para «ser senciente» (conceito com que Montexto tripudiava aqui). Uma galinha é um ser senciente; uma pessoa é um ser pensante. As tradutoras também podiam contestar, legitimamente, a teoria — mas fora da tradução.

 

[Texto 4086] 

Helder Guégués às 08:18 | favorito
Etiquetas: