Ortografia: «contradetonação»

Agora já é «inactivação»

 

      «Ouvido pela TSF, o comandante Coelho Dias, relações públicas da Marinha, explicou que no local já se encontra uma equipa de mergulhadores da Marinha, especializada na inativação deste tipo de engenhos. […] Segundo este responsável, o plano de inativação passa por levar a bomba novamente para dentro de águia [sic], para uma profundidade a mais de 20 metros, e depois fazer a contra-detonação» («Arrastão “pesca” bomba ao largo da Nazaré. Porto foi isolado», TSF, 27.12.2016, 14h35).

      Habitualmente, não é inactivação que se usa, mas desactivação. São sinónimos, é certo, mas só encontro este nos dicionários. Por outro lado, é contradetonação que se escreve, a contragosto o digo de novo. Na Rádio Renascença, lê-se que o «engenho explosivo recolhido por pescadores foi desmantelado e detonado no mar».

 

[Texto 7515]

Helder Guégués às 19:02 | favorito